quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Gavetas da memória infantil

Quase não escrevo em primeira pessoa por aqui. Mas desta vez, abro uma exceção.

Ontem, me encontrei em um momento saudosista, buscando referências musicais da infância e percebi que era uma criança fora dos padrões.

Senti saudade de Eric Clapton, mais especificamente de "Tears in Heaven", música composta em homenagem ao filho do cantor, que caiu do 53º andar de um prédio. Lembrei-me de uma matéria que foi exibida no Fantástico para reportar tal fato e mostrar o sofrimento do pai da criança expresso por meio de tão bela música.

Outro fato curioso encontrado nas gavetas de minha memória foi buscar em meus guardados, The Carpenters. Cresci cercada de discos de vinil e fitas cassetes. Como uma ironia do destino, uma fitinha da dupla Karen e Richard Carpenter foi parar na minha mão. Adorava escutar aquelas baladinhas, especificamente, "Close to you", "Sing" e "Please Mr. Postman".

E Balão Mágico? Se lembram? Agora com as festas Ploc que rodam o Brasil, com ícones dos anos 80 como Ursinho Blau Blau, Gretchen e Sidney Magal, os mais jovens também aprenderam a gritar por aí "Super fantástico amigo, que bom estar contigo no nosso balão". Todo refrão bem feito é guardado e logo vira um hit ou volta a ser.

Simoni, Jairzinho e compania limitada me conduziram nesse balão musical repleto de alegria durante vários anos.

Até que um dia a Rainha dos Baixinhos, tomou conta da programação infantil global e ditou moda, música e brincadeiras. Desta fase, aproveitei os bons desenhos que passavam no programa e também o "Ilariê", porque disso ninguém escapou.Mas, todos nós temos um passado que nos condena. E este passou.

Retomando as gavetinhas. Posso dizer, que quando eu era criança pedi de presente o CD "Jagged Little Pill" da Alanis Morissete, um dos primeiros. Logo em seguida, veio a banda No Doubt.

Não posso esquecer dos Beatles. Ainda não sabia falar inglês, mas cantava quase o repertório inteiro à minha maneira. Hoje eu posso dizer que entre o que eu mais ouvia estava "Day Tripper", "We can work it out", "Lady Madona","Hey Jude" e "Revolution" e muitas outras.

Adoniran Barbosa e Elis Regina fizeram parte da minha lista também, com "Tiro ao Álvaro". Quando a pimentinha começava a cantar "De tanto levar frechada do teu olhar...", eu logo acompanhava.

Foi uma época muito produtiva musicalmente, a descoberta dos sons e a formação de um gosto, que não mudou até hoje!

4 comentários:

Eu Berro! disse...

Nossa prima, vc é cult desde pequena então hein? que bakana, eu já gostei de todo estilo de música, e hoje sou totalmente ecletica, mas sumam daqui com o sertanejo, axé e pagode, pelo amor de Deus!

Raven disse...

Uma criança que pede de presente um CD da Alanis realmente merece meu respeito! ^^
Abraços!

Rafael Bouças disse...

clapton e alanis não fizeram parte da minha infância... e a xuxa, como bem dito, infelizmente foi marcante. mas sabe o que eu lembrei também? TV Colosso! Devo ter o vinil aqui em algum lugar... talvez perto do vinil da série do batman, lembra? aquela live action que reprisava na época?

heheh

bom, é isso! gostei do post!

WXS disse...

Agora lança um desafio: Você conheceu Atchim e Espirro?
Eu tinha um vinil deles, nunca mais esqueço... hahahahaha