sábado, 14 de março de 2009

Lá vem o Chavez, Chavez, Chavez..

Lá vem o Chavez...

Uma historinha bem desgostosa de se ver. Assim temos acompanhado a trajetória de governo do "ditador" venezuelano Hugo Chavez. A última façanha aprontada por ele, foi proibir a exibição da exposição "Corpos: real e fascinante", que já rodou o mundo inteiro e que conta com 16 corpos e 225 órgãos verdadeiros conservados pela técnica de polimerização, que permite plastificar e dissecar as partes do corpo humano.

A alegação do presidente é a de que as peças são o “reflexo da decomposição moral do mundo”.

Decomposição moral?

Chavez entre outras coisas, cortou o sinal da RCTV, o mais antigo canal da Venezuela com a finalidade de tornando-o público e utilizando-o ao seu favor. Para Chavez, o fim das transmissões seria um combate ao "capitalismo e à ditadura da mídia".

Ditadura da mídia?

Atitude contraditória talvez, pois o anúncio da proibição da exposição foi proferido no programa que Chavez tem na televisão.

Em referendo popular foi votado que o "coronel-presidente" poderá se candidatar às eleições de 2012. A saúde da democracia venezuelana está frágil. O resquício de esperança de que o povo possa ter uma mínima participação tende a ser extinto.

Enquanto isso, a liberdade de expressão, de arte, cultura, mídia e tudo mais ficam guardados no "Mundo Chavista das Pseudo-maravilhas", onde nem a realidade corporal e biológica interna podem ser vistos e medicina se faz sem classificações, na base mais radical.

4 comentários:

Thiago Almeida disse...

Sinceramente, não imaginava que nos tempos atuais, teríamos espaço para este tipo de regime político. Quando Fidel deixou o poder, acreditei que era um simbolismo ao fim de uma era ditatorial e repressora. Mas, não foi!

Este assunto é pertinente e deve mesmo ser levantado ao debate.
Parabéns pelo texto!


PS: Gostei muito dos assuntos abordados aqui. Adicionei seu blog para acompanhar as atualizações!

Anônimo disse...

É uma pena!
Chaves representa a cada vez mais nebulosa e outrora legítima esquerda.
Mas utiliza preceitos e retórica atrasadas, defasadas quanto aos ideais socialistas. As mesmas que levaram o desabamento do muro de Berlim há quase 20 anos.
Desde que a Cortina de Ferro se abriu no leste europeu esse modelo socialista entrou em corrosão, mas alguns países ainda insistem em levar a ideologia a ferro e fogo, com sensura, tortura e outras mazelas. Não há mais espaço para isso no mundo.
França e Espanha experimentaram modelos interessantes de socialismo, que deveriam ter sido aperfeiçoados. Até Portugal tentou.
O socialismo à moda antiga, com regime de exceção e ditadura não funciona mais.
A China tenta se modernizar mas enquanto a economia navega bem a política naufraga. Cuba perdeu o trem da história e pode se transformar num Haiti. E a Venezuela... esta representa um perigoso barril de pólvora na América do Sul com o insano CHavez à frente.
Desde o início da década passada os conceitos de "esquerda" e "direita" caíram em desuso e hoje sofrem de severa crise existencial.
Essa divisão hoje pode ser enfocada entre "progressitas" e "conservadores". Como nos EUA, onde uma tênue linha difere republicanos de democratas, adversários ferrenhos que polarizam dividem o cenário político americano. Alguém aí pode me dizer o que é a esquerda americana, por exemplo? A direita? Bom, essa é mais fácil de definir...
Marcos La Falce

Lex disse...

Tá mais para o Fantástico mundo de Bob.

Sabrina disse...

Aaaa essa eu realmente achei demais!
No sentido pejorativo...rsrs